Se quer fazer poemas, diga o que vai na alma, se quiser algum poema em especial peça que nós teremos todo o gosto em ajudar. Ao longo do site tem vários poemas para as diversas ocasiões, imagens, vídeos e muito mais. Desfrute ao máximo o nosso site.
Segunda-feira, 31 de Dezembro de 2007
Poema de Fim de ano

Recomeça….


Se puderes

Sem angústia

E sem pressa.

E os passos que deres,

Nesse caminho duro

Do futuro

Dá-os em liberdade.

Enquanto não alcances

Não descanses.

De nenhum fruto queiras só metade.


E, nunca saciado,

Vai colhendo ilusões sucessivas no pomar.

Sempre a sonhar e vendo

O logro da aventura.

És homem, não te esqueças!

Só é tua a loucura

Onde, com lucidez, te reconheças…


Miguel Torga


publicado por FFHF às 17:19
link do post | favorito

Comentar:
De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres



Copiar caracteres

 



Counter
mais sobre mim
Contactos:
flavio1988@sapo.pt
links
posts recentes

Poema - Coisas do nosso p...

O quanto te amo

Poemas da alma

Poema de Fim de ano

Poemas de Amor

Poemas de Amor

Frases de amor

Poemas de Aniversário

Poemas de Amor

Forumvila - Fórum Grátis

tags

07(3)

2007(4)

2008(2)

amor(8)

aniversário(2)

aniversario(2)

blog(5)

blogs(5)

brasil(4)

conquista(3)

destaques(2)

diversos(6)

eu(3)

fim de ano(1)

fórum grátis(1)

forumvila(1)

fotos(2)

frases(4)

frases de amor(5)

homem(5)

humor(6)

imagens(2)

internacional(6)

miguel troga(1)

mulher(6)

nacional(7)

noticias(4)

notícias(4)

novidades(9)

novo ano ano de 2008(1)

paixão(4)

paixao(3)

photos(2)

poema(7)

poemas(8)

poemas de amor(5)

poemas de aniversario(1)

poesia(8)

portugal(6)

romantico(4)

vida(7)

voda(2)

todas as tags

subscrever feeds
Quando esqueceres o meu nome Quando todos os rostos parecerem o mesmo Procura-me de manhã, quando acordares Procura-me de manhã, então despertarás Se pelo menos eu não me magoar Vou encontrar-te do outro lado Vou encontrar-te na luz Se pelo menos eu não sufocar Vou encontrar-te de manhã quando acordar Apaixonado, amargo e com o coração partido Enquanto dói, espero a vida começar Procura-me de manhã, quando acordares Procura-me de manhã, então despertarás Se pelo menos eu não me magoar Vou encontrar-te do outro lado Vou encontrar-te na luz Se pelo menos eu não sufocar Vou encontrar-te de manhã quando acordar